Salir de Matos
   
Página Inicial Contactos  
     
  E-Mail Login
Actualize os dados da sua Freguesia
AINDA NÃO TEM SITE?
Escolha aqui a melhor solução
LINKS
Links Uteis
FARMÁCIAS
Farmácias de Serviço
HOME | PORTUGAL » Leiria » Caldas da Rainha » Salir de Matos
MAPA GOOGLE
Mapa das Estradas
Reorganização administrativa do território (Lei n.º 22/2012, de 30 de maio)
Freguesia: Salir de Matos

A Freguesia Salir de Matos não sofreu alterações

Distrito: Leiria
Concelho: Caldas da Rainha
 
Freguesia: Salir de Matos
CONTACTOS
 
Morada Rua Principal, 8 - Salir de Matos
Cód. Postal 2500-637 SALIR DE MATOS
Telefone 262877732

   

EXECUTIVO DA JUNTA ASSEMBLEIA DA FREGUESIA
 
Presidente João Fialho Coutinho Rosa
Secretário Rui Manuel Ribeiro Jacinto
Tesoureiro Américo Rocha da Conceição
 
Presidente Carlos Miguel Alves da Conceição
Secretários Paulo sérgio da Silva Gaspar / Armando Ribeiro Bernardino
Restantes
Elementos
Manuel Duarte Ferrel
António José Ramalho Casimiro
Paulo Jorge Simões do Coito
carlos Alberto da Glória Sábio
Dionisia Apolinário Sábio Tavares
Amaro Almeida Rebelo

DESCRIÇÃO DA FREGUESIA
 
Salir de Matos


Orago: Santo António

População: 3 000 habitantes


Actividades Económicas: Agricultura, construção civil, panificação, serração, transportes, reparação - auto, climatização, publicidade, pastelaria regional, mini mercado, cabeleireiro, artesanato e serviços.


Festas e Romarias: Santo Antão (fim de semana mais próximo de 17 de Janeiro), Nossa Senhora da Ascensão (Maio), Santo António (13 de Junho), S. Pedro (29 de Junho), Santa Maria Madalena (13 de Julho),   romaria anual da freguesia (1º fim de semana de Agosto), S. Domingos (2º fim de semana de Agosto),  dia de todos os Santos (1 de Dezembro) e Nossa Senhora do Rosário (data móvel).


Património Cultural e Edificado: Igreja Paroquial, Capela da Quinta do Formigal (Particular), Capela de Nossa Senhora da Conceição, Capela de Nossa Senhora do Rosário, Capela de Santa  Maria Madalena, Capela de São Domingos e Capela de São Sebastião.


Outros locais de interesse turístico: Lugar de S. Domingos


Gastronomia: Cozido à portuguesa, bacalhau assado com batatas a murro, filhoses e bolo de ferradura.


Restaurantes:
- Restaurante - O Lagar; em Salir de Matos
- Restaurante Típico Solar dos Amigos e Ilha do Paraíso; no Guisado
- Restaurante O Cruzeiro; no Guisado
- Taberna do Manelvina; nas Cruzes
- Adega do Albertino; no Imaginário
Cafés em todos os lugares da Freguesia.

Artesanato: Cestaria em vime, bordados regionais, mantas de retalhos e cerâmica.


Colectividades:
- Associação de Barrantes Cultural e Desportiva
- Associação Recreativa Desportiva e Cultural de Cruzes
- Associação Desportiva e Recreativa do Guisado
- Associação Cultural e Recreativa dos Infantes
- Associação Cultural e Recreativa da Torre/Casal da Areia
- Associação Cultural e Desportiva de Trabalhias
- Associação Recreativa, Desportiva e Cultural de São Domingos
- Associação Para o Jardim Infantil de Salir de Matos (Valência Em      
   Infantário e Apoio Domiciliário).
- Centro Recreativo e Cultural de Cabreiros
- Centro Recreativo e Cultural de Salir de Matos
- Rancho Folclórico “Alegria da Nossa Terra”
- Grupo de Dança “100% Jovem”


A cinco quilómetros da sede do Concelho, Santo António de Salir de Matos está situada a meia distância entre as ribeiras da Tornada e Alfeizerão, entre as Caldas da Rainha e Turquel, do concelho de Alcobaça.
Com uma população que deverá rondar, actualmente, os 3 000 habitantes, esta freguesia ocupa uma área de 2500 hectares, distribuída por vinte e sete lugares: Barrantes, Brejoeira, Cabreiros, Casal da Areia, Casal da Cabana, Casal do Clérigo, Casal do Cozinheiro, Casal Malpique, Casal Novo, Casal de Santa Cecília, Casal de Santo Amaro, Casal Vale do Souto, Cruzes, Formigal, Guisado, Infantes, Mata, Matinha, Outeiro, Salir de Matos, S. Domingos, Teixeira, Torre, Trabalhias, Vale da Quinta, Venda e Vimeira.

     Salir de Matos, ou dos Matos, como também aparece referenciada, é uma povoação muito antiga. Vestígios arqueológicos nela encontrados comprovam o povoamento romano da região. Emílio Hubne..r, nas “Noticias Arqueológicas de Portugal”, menciona uma inscrição encontrada no local, que dizia: “D.M.S./SOLPICIAE C.OL./SIPONESI NA. / XXXV CALECUS / R...SI... VXORI/P...P...C.” Faz parte de um monumento sepulcral, que traduzido, significa o seguinte: “Dedicado aos deuses menes. Aqui jaz Sulpicia, natural de Collippo irman de Calleco, a qual faleceu na edade de 35 anos”. As três letras da última linha, embora não totalmente decifradas, talvez signifiquem “Pientissimae Poni Curavit”. Caleco seria provavelmente um lusitano natural de Eburobriga.

     Em Alfeizerão, surgiram várias outras inserções romanas, que poderão estar relacionadas com esta de Salir de Matos. Uma delas constituía a sepultura de uma tal Sulpicia, que, por testamento, deixou encarregado do seu funeral seu parente Servilio Avito. Põe-se a hipótese, falível por certo, de esta Sulpicia ser da mesma família da de Salir de Matos. Pertenciam ambas aos Avito, família muito considerada na cidade de Colippo.

     Salir de Matos foi uma das treze Vilas  dos Coutos do Mosteiro de Alcobaça. Teve foral, dado por D. Manuel I, em 1 de Outubro de 1514. Segundo o Numeramento de 1527, o concelho tinha 16 vizinhos. De termo, uma légua em largo e em redondo; parti com as Vilas de Alvorninha, Santa Catarina e Alfeizerão. No Cumprimento do seu poder administrativo, tinha juiz ordinário, dois vereadores, procurador do Concelho, escrivão da câmara, almotacil e meirinho. Na divisão eclesiástica, era vigararia da Apresentação do Convento de Alcobaça, tendo passado a Curato.

     No foral de D. Manuel, em 1514, a Freguesia e denominada de Salir do matto. Um topónimo que terá a ver com a realidade geográfica do território na época da Reconquista Cristã, provavelmente inculta e não trabalhada. Os  lugares da freguesia com o nome de Casal demonstram a forma como foi povoado aquele local pelos primeiros monarcas portugueses.
A constituição de Casais foi frequente em todo o país, nestes séculos pós -fundação da Nacionalidade. Outros topónimos apontam a sua origem para a Idade Média.

     A Igreja Paroquial da Freguesia, dedicada ao orago Santo António, tem um prospecto exterior muito curioso, devido ao alpendre que, sem dúvida, o marca visualmente. No interior, tem a cobrir a nave um tecto de madeira, de três planos, com quinze painéis. Estas pinturas são todas diferentes, denunciando terem sido executadas por um artista popular anónimo. Uma imagem de Santo António, escultura de pedra, popular do século XVIII, vê-se num nicho da nave. Altar - mor e dois colaterais relativamente interessantes.

     Merecem visita as Capelas de Barrantes, erigida em honra de Santa Maria Madalena; Casal da Areia, erigida em honra de Nossa Senhora da Conceição; Infantes, erigida em honra de Todos os Santos; São Domingos, erigida em honra de São Domingos; Trabalhias, erigida em honra de São Sebastião; Guisado, erigida em honra de Nossa Senhora do Rosário.
     Em meados do século, referia a “Enciclopédia Portuguesa e Brasileira” que “a Freguesia é um dos centros agrícolas e pomicolas mais importantes do concelho de Caldas da Rainha, cujos mercados abastece”.
A agricultura que ocupava 80% da população sofreu duas grandes modificações:
     1º- Anos 60 do sec. XX a emigração levou uma boa parte dos homens para França e América. A mecanização da agricultura e a utilização de produtos fitossanitarios inicia-se.
     2º- Livre circulação de bens e pessoas no espaço comunitário. Os produtos espanhóis chegam aos mercados mais baratos. Entra-se numa fase em que não basta saber produzir. É necessário encontrar mercado para a colocação dos produtos. Muitos campos estão abandonados. No início do século XXI 80% da população está colocada no sector secundário e principalmente no terciário. Na Freguesia há várias oficinas auto, oficinas de serração, alumínios, chapeiros e pintura, climatização, construção civil, transportes rodoviários, panificação, iluminação e publicidade, pastelaria regional, artesanato e vários serviços.

     No sector primário a principal actividade é a fruticultura e suinicultura seguida da vinha e horticultura. Existem várias unidades de conservação de fruta e uma Central Fruteira. A floresta ocupa uma boa parte da Freguesia (cerca de 45% do território).


Equipamentos Sociais:
Centro de Saúde, Posto de Farmácia, Posto de Correios, Caixa Multibanco, 3 Jardins Infantis (1 privado e 2 públicos), Apoio Domiciliário e 8 Escolas, 1º. Ciclo E.B.. (desactivadas Barrantes Cruzes Infantes)

Informação Paroquial:

Padroeiro : Santo António

Pároco: Eduardo Lopes Gonçalves


Principais Organismos:
Catequese - 15 catequistas e 120 crianças que a frequentam;
Ministros Extraordinários da Comunhão - 6;
Equipas de Casais de Santa Maria - 2;


Organismos de ajuda e colaboração com o Pároco:

Conselho Pastoral Paroquial - é elemento de cada organismo existente 1 representante de cada lugar da Paróquia;

Conselho Económico - grupo que, com o Pároco administra e cuida dos bens pertencentes à Paróquia, composto por 8 membros.

Horários das Missas na Igreja Paroquial
Domingos - 11,30 horas

Sábados - Horário de Inverno: do princípio de Outubro até ao fim de          Março: 19 horas
Horário de Verão: do início de Abril até ao fim de Setembro: 20   horas

Principal Festa da Paróquia : 2º Domingo de Janeiro - em honra de Santo Antão

Lugares de Culto da Paróquia, além da Igreja Paroquial:
Barrantes - Santa Maria Madalena
Casal da Areia - Nossa Senhora da Conceição
Infantes - (Todos os Santos)
São Domingos - São Domingos
Trabalhias - São Sebastião
Guisado – Nossa Senhora do Rosário
Cabreiros – São Pedro
 
 
Home | Soluções | Mapa das Estradas | Login | Link Úteis | Publicidade | Contactos
freguesias.pt © 2006 Todos os direitos reservados | Avisos Legais | Declaração de Privacidade