.:: Junta de Freguesia de Albufeira e Olhos de Água ::.
Este website utiliza cookies para lhe proporcionar uma melhor experiência de navegação e aumentar a usabilidade do mesmo. Para aceitar o uso de cookies basta continuar a navegar no website. Para mais informação consulte a informação sobre Politica de Privacidade e Política de cookies do site.
Aceitar
« »
Sexta-Feira, 22.10.2021
 
Contacte-nos
Recenseamento
Farmácias
COVID-19
Caracterização da freguesia
 

Aspectos Geográficos

 

A freguesia de Albufeira e Olhos de Água, concelho de Albufeira, situa-se no distrito de Faro, na região do Algarve. É limitada a oeste pela freguesia da Guia, a Norte pela freguesia de Ferreiras, a este pelo concelho de Loulé e a sul pelo Oceano Atlântico, ocupando uma superfície de 41,17 km2.

 

O natural ou habitante de Albufeira denomina-se albufeirense.

Apresenta um clima temperado mediterrâneo caracterizado por invernos amenos e curtos e verões longos, secos e quentes.

 

 

 

 


 

 

Aspectos Históricos:

 

 

Albufeira é marcada pela sua longa história, que remonta ao período neolítico e à idade do bronze. O nome de Albufeira provém da designação árabe "Al-Buhera", diminutivo de "Baron", que significa Castelo do Mar, aquando da invasão árabe na região. No entanto, segundo estudos, a primeira povoação de que há memória na região de Albufeira é a dos Romanos. Esta primeira civilização, cujo nome inicial era Baltum, introduziu o conceito de organização administrativa e desenvolveu uma intensa actividade agrícola, mineira e comercial, tendo sido construídos aquedutos, estradas e pontes, dos quais ainda existem alguns vestígios. Aquando da invasão árabe em 716, que aqui permaneceram durante cinco séculos, existiu na região uma grande prosperidade com o desenvolvimento da agricultura tornando-se Albufeira num importante porto comercial com as trocas realizadas com o Norte de África. A herança deixada por estes e a sua influência ainda resistem no presente, como as famosas e tradicionais chaminés Algarvias, as casas brancas com janelas características bem como uma série de culturas, técnicas e formas de viver.

Foi a partir do final do séc. XII que se iniciou a conquista cristã da região. Após décadas de conflitos, a tomada da vila aos mouros deu-se definitivamente em 1249 com os Cavaleiros da Ordem de Santiago no reinado de D. Afonso III, e doada à Ordem Militar de Aviz, tornando-a assim parte do reino de Portugal e dos Algarves. A 20 de Agosto de 1504 (data em que se comemora o feriado municipal) D. Manuel I concedeu o Foral à Vila de Albufeira, sendo regida pelas leis do resto do país.   

A catástrofe que ocorreu com o terramoto de 1755 e as vagas do maremoto provocado por este deixou a povoação de Albufeira praticamente destruída, provocando 227 vítimas, tendo sido necessárias várias décadas até Albufeira começar a sair da miséria.  

Em 1833, durante a guerra civil entre absolutistas e liberais, Albufeira foi cercada e atacada pelos soldados do Remexido: um chefe popular absolutista que danificou profundamente a vila e executou grande número dos seus habitantes. Resistiu durante quatro anos contra as tropas regulares do governo.

No início do século XIX a economia de Albufeira estava demasiado frágil com a actividade piscatória em decadência e agricultura a passar por maus anos agrícolas. No entanto ocorreu alguma expansão urbana com o nascimento de novas ruas.

A partir de meados do século XIX, paralelamente ao resto do Algarve  verificou-se em Albufeira um crescimento da actividade piscatória, que  se iria intensificar no início do século XX, com o aparecimento da  Industria Conserveira. Este crescimento, teve o período áureo de  1922/24 com o pescado a atingir valores elevados reflectindo-se numa fase de prosperidade para toda a actividade ligada à pesca.

Os anos entre 1930 e 1960 foram tempos complicados em que a abundância deu lugar à miséria, devido à decadência das embarcações e ao encerramento de fábricas o que motivou o abandono de metade da população de Albufeira tornando-se a pesca numa actividade de subsistência.
A partir de 1960, o turismo começou a florescer e tem estado em franco desenvolvimento até aos dias de hoje tendo-se tornado num dos destinos turísticos preferidos da Europa.

Olhos de Água foi ... uma freguesia portuguesa integrada no concelho de Albufeira, distrito de Faro, distando cerca de 6 km, com 15,69 km² de área e 3 221 habitantes (2001). Densidade: 205,3 hab/km². Tendo sido instituída enquanto freguesia a 12 de Julho de 1997.

A freguesia foi constituída através do desmembramento de território da sede concelhia, pelo que é natural que a história de Olhos de Água esteja intimamente ligada à de Albufeira. No século XVIII, Olhos de Água surge já mencionada como ponto de vigia na defesa da praça de Albufeira.

Desde a década de '60 o rápido crescimento do turismo, tem sido o grande dinamizador da economia de Olhos de Água, aumentando o número de estabelecimentos hoteleiros, comerciais, restaurantes, bares, apartamentos, hotéis.

A desanexação de Albufeira surgiu em consequência do desenvolvimento registado pela povoação de Olhos de Água, a partir, sobretudo, da década de 70 do século passado. Nessa altura, a freguesia tornou-se um ponto turístico bastante procurado, principalmente devido às suas magníficas praias e às nascentes de água doce. Junto a essas nascentes de água doce, fixaram-se Fenícios, Cartagineses, assim como os Romanos, que praticaram a pesca e desenvolveram a salga e secagem do peixe, que se estenderam por todo o litoral algarvio. Recentemente em trabalhos arqueológicos, foram encontrados vestígios de tanques de salga do período romano, nas vizinhas praias Maria Luísa e Santa Eulália. Olhos de Água deve o seu topónimo a essas nascentes, que brotam no mar e nos seus areais. Do acervo patrimonial da freguesia são de destacar: a vigia da torre da Medronheira, muito importante, no passado, para a defesa da região; e o Depósito de Água e Lavadouro Público.
Como já foi mencionado, Olhos de Água tem no turismo a sua maior fonte de rendimentos, no entanto, a pesca permanece ainda como uma actividade económica de considerável importância para os habitantes locais, bem como a exploração florestal e a produção vinícola.

Apartir de 29 de setembro de 2013, como resultado da Reorganização Administrativa do Território das freguesias aprovada pela Lei n.º 11-A/2013 de 28 de janeiro, a freguesia de Albufeira e freguesia de Olhos de Água foram agregadas, passando a designar-se por FREGUESIA DE ALBUFEIRA E OLHOS DE ÁGUA.

 

 
Formulários

Requerimento para atestado

Reclamações/Pedidos - Junta de Freguesia de Albufeira e Olhos de Água

Reclamações/Pedidos _ Câmara Municipal de Albufeira 


Agenda Cultural Municipal
Mapa Interactivo

Dia da Defesa Nacional
Tabela de Marés: Barra de Faro - Olhão
Via Algarviana
Corridas à 6ª feira
Marcha-Corrida do Algarve

Canal Albufeira
Alertas de mau tempo
Mapa Google
Visitas
.::Visitas::.
Hoje: 107
Total: 212020
Início Autarcas Freguesia Informações Notícias Mapa do Portal Contactos Política de Privacidade
Junta de Freguesia de Albufeira e Olhos de Água © 2014 Todos os Direitos Reservados
Desenvolvido por FREGUESIAS.PT
Portal optimizado para resolução de 1024px por 768px